terça-feira, janeiro 25

Tudo isto, são palavras, que não me deixam fugir de nada.


Tudo isto, são palavras, que não me deixam fugir de nada. São um inventar de imagens, de chamados sonhos que muitas vezes parecem ser reais. Faz-me arrepiar a cada acordar.

Gostava de poder ter a sorte, que outros tiveram. Escreveram sem pensar que seria perfeito a ponto de perdurar séculos. Não é a obra em si, são os gostos, as emoções, os sentidos, as frases que ficam para sempre na memória de um povo. É essa a parte mais difícil de escrever uma obra. O difícil não é escreva concretamente, mas sim, de maneira que fique na história sem que seja um simples número.

Não vale a pena ficar fechado dentro do armário, esperando pelo quinto império, quando o sexto está mesmo à espreita.

2 comentários:

  1. Como eu gostaria de ter a sorte de alguns que escrevem perfeições sem querer.

    ResponderEliminar