sexta-feira, novembro 26

Os teus gemidos, soltam o meu coração.


Os teus gritos, apertam no meu peito. Os teus gemidos, soltam o meu coração. Uma vez por noite, a luzes do quarto apagam-se. O silêncio controla-o por poucos segundos, seguido de gemidos, gritos, sussurros, perseguições, no escuro. Deitado na cama, onde te espero, revendo-te no lado de fora da janela. É sempre uma noite, em que, nem os sonhos conseguem ser tão bons como os momentos que passo contigo. Consigo sentir-te, a remexer sobre a forra da cama, caindo no chão, desatando às gargalhadas. Fecho a porta, para tornar mais difícil a tua fuga dos meus braços. Estás melhor aqui, comigo, deitada sobre o meu peito, arfando como se tivesses os pulmões fora do corpo. Sobes e desces, a força é toda feita por mim, e o odor a sexo penetra o ar, como te penetro a ti. A temperatura sobe a pique, e nada há que a faça parar. Intensifica-se o palpitar do coração, a respiração altera-se, e torna-se agora rápida de mais para podermos parar de repente. Pego-te ao colo, e, pouso-te na mesa onde normalmente costumo fingir que estudo, onde o computador me ocupa o tempo livre. É aquele aparelho milagroso que encurta a distancia dos nossos corações, dos nossos olhos. Onde te vejo e revejo. Apreciando cada lágrima, cada sorriso, cada dedo que toca no teclado negro onde digitas as coisas mais bonitas para mim.

Penetro-te. Não é apenas um gemido, é mais do que um grito. Faz tanto tempo que não sentia assim o teu corpo.

10 comentários:

  1. Gosto, gosto. :)
    Belo sentimento expresso no texto, a junção dos corpos em função de tal. :3

    ResponderEliminar
  2. obrigada e ainda bem que gostas-te :$

    ResponderEliminar
  3. Ainda nem acredito.. Depois de passados vários dias a vir aqui visitar e vasculhar este teu cantinho ,que adoro, só hoje percebi que eras o autor do blogue que menos gostei de ler...
    não é que o blogue estivesse mau mas simplesmente eu faria tudo diferente deve ser por pensar de maneira diferente, não sei... Estas coisas servem é para ver como podemos escrever "coisas" completamente diferentes umas das outras! bj*

    ResponderEliminar