quarta-feira, março 3

Dás pilha ao meu sol.

breathe easily. by *indiae
Estás tu, de mão ao peito, exibindo o cachecol cinzento que te comprei nos anos, com o dinheiro que sobrou, depois de ter comprado o MacDonald para nós os dois no shopping. Como tu sorrias. A maneira como tu olhavas para mim, pedindo-me que te abraçasse e não te largar mais. Ficando assim, para sempre, ou um para sempre de contente, até vir alguma coisa nova e mais bonita para que nós os dois pudéssemos fazer. Cada passo que dávamos, sentia-se a multidão a virar os olhos na nossa direcção, comentando e argumentando tudo o que fazíamos. As mãos dadas de forma peculiar. O meu braço direito por cima do teu ombro, enquanto que a tua mão direita, lhe pegava em jeito de carinho e ternura, fazendo-me estremecer. Estremecia porque o coração sentia o teu amor só pelo toque das tuas pontas dos dedos. O teu sorriso é o que mais brilha no meio da multidão. São os teus olhos que me vêem como sou, e não como era suposto ser se fosse perfeito.

Dás pilha ao meu sol, quando algo não bate certo em mim. Quando as meninas se tentam aproveitar de mim cada vez que me largas a mão e vais à Zara das mulheres ver qualquer coisa, enquanto eu digo num gesto simpático que vou ser rápido e vou logo a seguir ter contigo num ápice sem perder mais tempo. E elas comem-me com os olhos. Comem-me por inteiro e sabem quem sou eu. Sabem o que tenho na Internet, e sabem o que escrevo e quando escrevo. Aproveitam-se. Aproveitam-se do meu dom. Aproveitam-se proferindo as minhas próprias palavras. Apareces tu, de coração na mão, é o meu coração e na minha está o teu. Aquele que eu nunca ousei deitar fora ou brincar com ele. Meteste à minha frente, impedindo que outras me tirem o coração das mãos. Pegas-me na mão disponível e sais vitoriosa, porque só tu sabes o que significo para ti e porque... Porque achas-te o homem mais incrível deste mundo, e que escrevo como um Deus, e que qualquer mulher que lesse se apaixonaria por mim. Tu sabes, oh tu sabes bem como é ler cada texto que não chega a vir parar aqui...

8 comentários:

  1. Essa menina sim, é de valor. Protege-te de tudo e todos. E te a sorte de ler o que por aqui nao metes x)

    ResponderEliminar
  2. "Dás pilha ao meu sol, quando algo não bate certo em mim."
    não há uma única vez que entre aqui e não leia coisas bonitas, muito bonitas (:

    ResponderEliminar
  3. texto tão completo. esta rapariga , é uma rapariga de sorte. sem dúvida. *

    ResponderEliminar
  4. Gostei dos seus textos..

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar