sábado, agosto 7

Ídolos de papel...

Observo. Respiro fundo ao ver os seus lábios serem molhados pela língua. Corro o olhar sobre o campo verde à minha frente. Respiro. Tranquilamente deixo-me envolver pelos raios de sol que me aquecem o peito. Volto a por o olhar na menina ao meu lado. Tem nas mãos um livro. Um livro meu. Um livro de umas possíveis 80 páginas. Solta sorrisos, esconde uma lágrima, à medida de vai passando os capítulos. Vejo-a entretida com uma coisa minha. Uma coisa sobre a qual dediquei a minha pequena vida. São como ídolos. Leitores, Letras, Comentários, os meus textos e a Vida. Trazer sempre no bolso a vontade de criar as coisas mais simples e novas. Não brinco no baloiço tanto como queria, ou não converso como os adultos o fazem muitas vezes, ou como gostariam que o fizesse. Apetrecho-me com os lápis e borracha e alguns papeis brancos cada vez que saio de casa, não vá algo passar-me pela cabeça e queira dedicar algum tempo a isso. Escrevo como se fizesse pequenas coroas de flores com a maior da delicadeza. Escrevo o simples (ou tento), o mistério, o amor, a criança. Tudo se envolve e se recria com as palavras.

Muitas vezes é o silêncio que me trás de volta à realidade.
O silêncio que as palavras me deixam.

Hoje queria algo diferente. Algo bonito. Saiu-me mal. Mas o próximo poderá ser melhor. :)

4 comentários:

  1. O silêncio, por vezez faz-nos viajar para bem longe :)

    Só tenho mais 20 que tu, além de isso pouco importar =D Mas tu escreves muito :O
    Gosto sempre *

    ResponderEliminar
  2. Sempre ando com papel e caneta tbm!
    Inspiração não tem hora pra chegar!

    ResponderEliminar