domingo, junho 6

Como o sol nascer...

Este carinho que não é meu, mas de alguma maneira o aceito e torno-o meu cada vez que o recebo daquela menina bem especial no meu coração. É como o sol nascer por entre as nuvens, bem apertadinhas, aconchegando-o, fazendo-o ficar fofinho e de calores nas bochechas a ponto de estas mudarem de cor para o cor de rosa avermelhado. Assim me sinto, ao sofrer e amar-te por metades incompletas, pois gosto de saber que tenho espaço no meu coração para mais, e de que alguma altura te posso surpreender com algo novo e mais profundo. Neste momento, escondo atrás das costas por entre estas mãos que são minhas, um presente para te oferecer. De uma queria e suave forma que te irá fazer arregalar os olhos, sorrindo sem porquês, sem amores ou desesperos agregados ao sentimentos de felicidade juvenil que irás sentir. Eu não to mostro por muitas razões, uma delas, é porque gosto de te ver entretida com o que já tens, e ir-te dando aos bocadinhos um pedaço do meu mundo. Uma pedra de cada vez do meu castelo para que assim construas o teu. Por outras, porque gosto do teu olhar curioso com as coisas.

A tua presença faz-me suar. Como quando o sol nasce todas as manhãs, acordando com o seu brilho nos meus olhos. Mas mesmo assim, todos os dias o meu coração anseia pelo seu brilho. Tal como, um beijo teu sobre os meus lábios tímidos de menino pequenino.

6 comentários:

  1. está tão bonito *.*
    Pêê, como se chama a música que tens aqui?

    ResponderEliminar
  2. - mais uma vez, adorei o teu post.
    - parabéns (:
    - beijinhos «3

    ResponderEliminar
  3. Eu adoro vir aqui e ler os teus textos!

    ResponderEliminar
  4. Ai... Que lindo... :)

    Fogo...

    Fazes-me sonhar.

    ResponderEliminar