sexta-feira, março 5

Papaparapaparapapara

Papaparapa, parapapara. Papaparapa, parapapara. Gritas o meu nome no meio da rua, fazendo os vidros das montras estremecer, chegando a causar pequenos zumbidos nos ouvidos de quem te foi vitima de um ataque que eu tanto adoro.
Corres na minha direcção, soltando o cabelo, saltando de imediato para cima de mim. Agarras-me pelo pescoço, ponto as pernas à volta da minha cintura. Desatas aos beijos. " AMO-TE!! "
És, de todas as pessoas que até hoje conheci, a mais querida. Usas de tudo para meter conversa, aproveitando todo o espaço em teu redor para soltar as maiores gargalhadas possíveis. Olhas-me intensamente, desafiando-me para mais um dos teus jogos, dos quais alinho sempre, porque fazes olhares mais sérios chegando a serem os mais fofinhos. Cada vez que te dou a mão, sinto-me a beijar-te os lábios. Tu de nada tens ciumes ou inveja. Sabes do que falo. És tu, pessoa com muito e com pouco, preenchida pelo que tenho e não chego a ter. És maluca e adoro o teu modo. És sincera e quando me queres dizer algo que sabes que me pode vir a ferir, falas para mim como se me tivesses a tentar adormecer, com aqueles nós familiares na garganta. És assim. Tu, sem medo do que dizer a quem nada te é.


 bohemian rhapsody by ~Cataliina
O Pedro é um maluco. Um taradão de primeira e disseste bem meu amor, não ligo ao que os outros dizem, nem quando desatas a olhar para o cu das outras meninas e diante de mim, desatas a comentar o que vês. Porque eu também adoro fazer isso, principalmente contigo. Como és tão fofo e querido. Sabem lá elas o que perdem. Tu podias ter ficado, do lado de fora do meu coração, mas vieste e ficaste, como nenhuma outra coisa meu príncipe. Sinto em ti ternura. Essa ternura que chega até mim através da ponta dos dedos. És um porco e estás-me sempre a fazer rir. Sempre com um sorrio para dar, ou aqueles miminhos tão queridos e inocentes que me chegam ao coração. Adorei o dia em que roubaste os óculos de sol da tua mãe e andastes com eles pela rua feito tolo. O mais cómico foi usa-los num dia de chuva turbulento. És uma comédia. Esse teu corpo perfeito. Os caracóis lindos de se lhe tocar. Ai... Excitas-me carago. As tuas mãos deveriam virar monumentos quando morresses filho amor. És o meu amante. haha Caragus, amo-te... Tens aquela pancada fofinha e atrevida. És tu, amo-te, meu Fernando Pessoa. ^^

4 comentários:

  1. A descrição da personalidade da primeira miúda é tão o meu focinho :b

    ResponderEliminar
  2. já está a passar, sabes?!
    agora só sinto que não tenho objectivo de vida, o que é estranho descrever :\

    ResponderEliminar