segunda-feira, fevereiro 22

És pessoa na multidão.

Aprendo a respirar. Cansado de te tentar tornar real. Carregando o teu desejo. O esboço do teu corpo, e a cara tantas vezes apagadas, centenas talvez, pela mesma borracha que paira neste momento num caixote do lixo do quarto. Desenho os teus medos, as tuas paixões, o teu corpo, todos os teus recheios interiores, sem qualquer pergunta prévia de como será que deverias ser na realidade. Ouço apenas o meu coração. Ele quer-te, quer-te perfeita, sem aranhões, ou joelhos com feridas, de mãos carregadas de notas suicidas de infância. De cabelos esbeltos de uma cor dourada como o ouro, olhos azuis capazes de me ler a alma, de um gesto só. Sem inventar histórias, ou aquelas tais desculpas, traições e/ou quais quer outras tendências estranhas de tanta menina. Limpa, perfeita de alma. Mas... Deixei-me iludir pela ilusão do coração, pelo nevoeiro que teimou em estar presente, diante dos meus olhos todos os dias. Parecia que não podia ver as realidades de meninas bonitas, tal como te imaginei no papel e na minha cabeça.

Sei que fiz mal. Que fui culpado e culpei quem não devia. Causei maus tratos e feridas horrorosas, e quero, desta vez, tentar ser calmo, meigo, compreensível, amigo, e fazer com que funcione. Diz o que queres ver através dos meus olhos, o que queres sentir comigo quando te der a mão, ou quando os meus lábios tocarem a tua cara rosada, de bochechas fofas, como as de um bebé. Quero dar-te umas quantas estrelas, e se elas pararem de brilhar, vou dar-te o sol de vez, revestido de beijinhos e no seu interior quando explodir de tanto amor que lhe deres, serás atingida por beijos e abraços bem apertados.

Dás-me a mão? Eu dou-te um beijinho quente, em caso de esses teus lábios ficarem frios.

4 comentários:

  1. De nada :)
    Vais do mais "agressivo" até este mais carinhoso.

    ResponderEliminar
  2. O sexo também é uma forma de amor. as pessoas entendem como querem as coisas, não te preocupes com isso.

    ResponderEliminar