quinta-feira, janeiro 7

Vai tocando...

Ela quer-me como seu lollipop. Ela sabe, que eu gosto de lhe chegar a tocar. Ela anseia, ver o meu corpo que se mantém desde ontem à noite. Desde a ultima vez que lhes tocou, a ultima vez que lhe deu prazer.

Ouve-me agora. Agora que o meu corpo está sobre os lençóis. Surgindo de um nevoeiro de chamadas anónimas, do fundo do corredor, pelo nome delicado que te colocaram, apareces e sorrisos, tirando a roupa sem pensar no daqui a pouco, com uma intensa respiração a contaminar todo o ar, como se tivesses a ser invadida de prazer. Vens, caminhando, esperando por tudo o que te espera à minutos, desde que chegámos a casa. Na escola, via isso nos teus olhos, e cada vez que me apertavas a mão. Vamos fazer este momento, desejar nunca acabar? Quando te sussurrar ao ouvido as palavras de amor, enquanto as mãos te enchem de caricias, até começares a gritar bem alto. Liberta a tensão, não te fiques por agora, suspira e vamos os dois, rolar na cama, aos beijos e beijinhos, de dedos com as suas pontas gélidas, envolver os lençóis à nossa volta, impedindo assim, que olhares imprudentes nos vejam. As mãos vão caindo pelos lençóis, passando pelas pernas, subindo e descendo num gesto único. Parece certo, passar para a outra fase, depois de estarmos para aqui a transpirar que nem dois malucos a correr ao sol, num dia de verão, na hora mais alta do dia. Pegas, sabes muito bem no que pegas. Com cuidado, pois é o único que tenho, enquanto me vou chegando para perto da tua boca, beijando-te e trincando-te os lábios vermelhos, pintados à presa na casa de banho.

3 comentários:

  1. :O
    :)

    Como ja tinha saudades de te ler neste registo... Sabes que sim. Tens um jeito especial com as palavras que nos deixa a pensar depois de te lermos... Isso é fantastico mesmo :)

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Desde que te comecei a ler, até agora, cresceste tanto na forma como escreves.
    beijinho

    ResponderEliminar