quarta-feira, março 25

É dificil de dizer

No outro dia enquanto dormia, tive este sentimento.
Despertou-me. Fez-me respirar fundo e engolir em seco.
Esse tempo... Aquela imagem nítida e profunda.
Nunca estive no paraíso, nunca vi nenhum anjo a voar.
Sinto a magia a parar no ar. Respiro-a na oportunidade.
Reviver este segredo guardado. Espero que nunca te perca.
Nunca vi os olhos de um anjo. O sol nasce. Não vai a lado nenhum.
As lágrimas voltam-me a encher o sonho com uma expressão.
Cada vez que acordo, imagino-me sem um amanha a afogar os meus arrependimentos.
Será o melhor, o mais dificil de te dizer, que o mundo é confuso.

O mundo é confuso até para as crianças que nascem com o mapa da sua vida. No meu primeiro dia de todos os dias da minha vida, ninguém me conhecia. Até eu começar a falar. Toda agente tentava perceber o que me viria a tornar, no que estaria a pensar, no que me esperava do outro lado da idade. O mundo dava voltas à minha cabeça. O mundo é confuso. A cada dia tinham esperança de que fala-se e lhes disse-se, Ei vou ser feliz e viver bem.

Por mais caras e pessoas que visse, nenhuma delas era capaz de me dizer nos olhos o que seria quando tivesse mais idade, m dais capacidade raciocínio lógico. Sem expressões, apenas me fitavam com o seu olhar, na esperança que os meus olhos falassem por mim. O meu ar de inocente seria o melhor que tinha para me manter afastado da mente tarada e depressiva das pessoas que esperavam por mim para começar a viver, ou continuar a viver o que tentavam sobreviver. Sinto-me como cada criança se sente. Perdida e desconhecida.

Pergunto-me agora. Onde estou eu neste mundo confuso, onde o único caminho que existe, está tapado pelo que não vê-mos. "Tudo". Até eu sou o culpado.

Por mais feio que me sinta, por mais vazio que me sinta, por mais incompleto que me sinta, por mais tudo o que sinta, nada me dirá o que realmente quero e sou. Como posso dizer que sou eu quando neste mundo dizem sempre que somos um bocado de cada pessoa? Onde estamos nós? O que somos nós? O que sou eu? Será que me chamo mesmo Pedro ou terei outro nome?
Não quero entender o mundo nem a vida. A vida é simples: Escolher e morrer.
O mundo é ainda mais simples: vazio.

Qual o significado de tudo isto? De tudo? Não sei. E espero que um dia saiba tanto ou mais como sei agora. E que tudo o que vivi seja escrito em livro para que toda agente possa saber que somos seres humanos que não há nada mais agradável e mais cativante do que viver a observar e aprender, a questionar e escrever, a sentir e a reflectir o que acontece. Somos seres humanos.
Quero ter a certeza de que sou real.

Os meus olhos reflectidos no monitor do portátil, falam por mim. Quase não tenho palavras para escrever, pois eles, tiram-mas todas a cada momento que me revejo no monitor. A minha imagem, os meus olhos que por momentos fazem mais do que palavras e simples gestos de dedos (escrever). É tão simples pensar. Morri neste momento. Os meus olhos fitam-me constantemente. Penetram a minha alma à procura de cada falha, de cada erro, de cada pensamento, de cada coisa que me deixe "mal". Como toda agente pensa, até eu. Quero acreditar de que nada é mau e bom. Tudo é bom. Quero poder viver o que sempre quis. Desfrutar da liberdade mental e social que devíamos ter, mas porque estamos demasiado ocupados a pensar no futuro e no dinheiro e em tudo o que nos faz feliz por simples momentos momentâneos da vida. Quem me dera a mim poder viver como imagino agora. Tudo seria tão... Simples, tão simples.
Nada mais do que escolhas. Sem dinheiro, esforço, trabalho, objectos, nada, apenas uma escolha, entre medo e amor.

EU CONSIGO!!
EU VOU CONSEGUIR!!
SOZINHO OU COM ALGUÉM, EU VOU CONSEGUIR!!

"Se estiver à espera que o outro continue ou faça alguma coisa, estou mal"
"Primeiro eu, depois os outros, e é se tiver tempo e se poder"

Um olhar, Uma recordação, um sentimento, um acumular de desejos. Uma vida em palavras. É mais que perfeita. Nada na vida acaba. Tudo começa.
Lê os meus olhos. Consegues?

O ar que respiro queima-me os pulmões, afogando em lágrimas o meu coração.
Não consigo parar, preciso do ar para poder respirar.

4 comentários:

  1. Mais um fantastico post : )
    È o que eu já estou farta de te dizer, tu escreves com alma $$

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Cepticismo radical.
    Lê peças de David Hume, acho que te podes identificar com algumas coisas que ele diz. Ou então tenta ler coisas de Descartes porque ele até punha em causa a sua própria existência, tanto como tu o fazes :)

    Beijoca ^^

    ResponderEliminar